quarta-feira, 15 de junho de 2011

GREVE EM ESTEIO!

    Quem acompanha esse blog sabe que escrevo somente práticas referentes as turmas de Berçário, não o utilizo como um diário pessoal, ou um lugar de reclamações e afins...Mas sinto tanta falta de um... Então aqui, hoje, venho desabafar com vocês um pouquinho da situação dos professores de Esteio/RS e em particular dos professores da Emei Raio de Sol.
     Enquanto profissionais da educação infantil estamos dentro de carga horária de 32 horas semanais (6 horas diárias + 2 horas de reuniões semanais). Há anos que lutamos para retirar essas duas horas que nos fazem trabalhar à noite ou aos sábados . Essas duas horas também nos impedem de trabalhar em outros municipios ( e com o nosso atual salário, somos obrigadas a ter um segundo vínculo empregatício), isso porque a maioria dos estatutos municipais prevê que um professor só poderá  acumular a carga horária de 60 horas semanais de trabalho. Daí cito meu exemplo: estou prestes a ser chamada num concurso de 30 horas na cidade onde moro e com um salário bem atrativo, mas apesar disso estou há sete anos convivendo com a comunidade da Raio de Sol. Me sinto bem lá, lá sou feliz com o que faço... enfim... Mas devido a carga horária de 32 horas e não 30, vou ter que escolher.... E assim, muitos outros profissionais já fizeram essa escolha e nesse momento o salário vem antes, porque é dele que provemos o nosso sustento, os nossos livros, os nossos estudos.
     Nesse momento todos os professores de Esteio estão em GREVE, e nossa parada não é somente por questão salarial, mas por questão moral. Que diálogo aberto temos com a prefeitura se o prefeito a todo momento diz que não tem espaço em sua agenda para conversarmos, que cidade humana é essa que faz com que uma escola seja inaugurada e funcione há quase dois anos sem estar devidamente mobiliada? Será que para uma boa educação basta quatro paredes e um professor dentro? Onde estão nossas formações? 
     Lembro com saudosismo os anos em que pelo menos uma vez a cada dois meses reuniam-se todos os professores de Berçário, Maternais, Jardins... Onde víamos as práticas de outras colegas, onde teorizavamos a nossa prática... Por vezes abriam-se vagas pra cursos que eram pagos pela Prefeitura (Simpósio da IENH... Esse ano paguei por minha conta 110 reais para participar do evento. Dinheiro bem investido, mas que em outros anos era proporcionado pela prefeitura, pelo menos uma vaga para cada escola de educação infantil...).
      Não vejo as assessorias de educação infantil perto do nosso trabalho, não conversam, não se interessam sobre o que mais queremos. E como pode uma assessoria de um município não conhecer as práticas  do cotidiano da educação infantil. As vezes parece que tanto faz se seu trabalho é bom ou ruim... E é sempre assim... Tanto faz...
     E o que me faz balançar na hora de decidir se devo sair de um grupo como o que tenho na Raio de sol é justamente esse. Aqui não é TANTO FAZ. Aqui estamos sempre em busca de uma melhor educação, de um melhor ambiente para os pequenos, de uma melhor formação, de uma melhor prática, de melhores relações. Aqui estagiário planeja junto, faz junto, acontece junto e aposto que se nesse momento elas pudessem também estariam em Greve, porque um governo que os coloca para trabalhar firmando que o estagiário é importante na escola porque está a aprendendo a profissão, mente. Mente porque fala isso na hora de contratá-lo, mas quando o estagiário chega na escola descobre que ele é apenas um auxiliar do professor,  que não tem direito a planejar com o professor, que não precisa (pq não tem direito) participar de reuniões pedagógicas e entre outros absurdos que só desqualificam a prática do professor e do estagiário.... ARGH....
   E meu grupo (meu pq estou inserida nele) faz diferente.... Só nos sabemos como é importante estarmos juntas, nos unindo, nos defendendo, aprendendo, desaprendendo... 
SENHOR PREFEITO:
    Qualidade na educação não se refere a números. Mas se eles são tão importantes preste atenção no número do valor do meu ticket alimentação.... preste atenção na quantidade de horas diárias que eu trabalho dobrando turno e sem o direito a dedicação exclussiva que outros profissionais irão ganhar. Como pode uma preofessora que trabalha 11 horas por dia ganhar o mesmo ticket alimentação de uma professora que trabalha 6 horas. E como pode uma professora com duas matrículas (6 horas + 4 horas) ganhar dois tickets alimentação (  R$11 reais e R$ 5,50 ), enquanto  que os profissionais que fazem Regime Especial de Trabalho ( e são várias) ficam o ticket de alimentação de R$ 11 reais. Trabalho numa escola de periferia não tem um bom restaurante por perto... Mas quando resolvo comer num restaurante do Centro  meu ticket não cobre o valor da refeição.... E assim ficamos... Mas tanto faz, não é? Fico na escola até as 19 horas da noite e a prefeitura só me "ajuda" com o almoço. Teoricamente para o prefeito que me "ajuda" mensalmente, numa jornada de trabalho de 11 horas eu só preciso de uma refeição...
     Por isso, estamos em Greve e vamos continuar até que nos seja dado o devido respeito e a devida valorização!
Colegas da Raio de Sol fazendo a diferença na paralização do dia 08/06.Amo vocês, e me orgulho de permanecer nesse grupo!
 E adiante!

30 comentários:

amábile disse...

Não Fiquei só emocionada, como confiante. Confiante na luta, perseverança e comprometimento que estamos mostrando todos esses dias. Sinto orgulho das minhas colegas, que com medo, insegurança, mas muito comprometimento e esperança estão demonstrando determinação e espírito de grupo, Sonhando e lutando juntas por um ideal de educação, que é bem diferente da que vivenciamos nessa gestão.
Cada abraço que ganhamos, seja dos pais, comunidade ou colegas, nos impede de desistir. É nosso dever exigir uma educação que forme pessoas para o bem e construa um mundo melhor para vivermos. Por isso...É adiante...com certeza!!!

Anônimo disse...

Òtimo post. Retrata a luta de nosso cotidiano. O que achei muito controverso, é o comentário de algumas de nossas líderes, assim no Orkut e também por meio de nossas reuniões prestarem o seu apoio, mas na prática não é o que vemos ou comprovamos. A não ser que sejam por meio de orações. Lastimável, o importante é saber que liderança não é presente é conquista. Façam a por merecer o nosso apoio. Simples nos apoiando!

amabile disse...

É por tua causa e por muitas profissionais da Raio que cruso a cidade todas as manhãs para lá deixar o meu bem mais precioso que é o meu filho. Eu calculo qual seria a remuneração e o status de educadoras como vcs em um pais de primeiro mundo. Hoje só quem trabalha lá, tem filhos lá ou já fez parte desta história é que sabe o valor que vcs tem. Merecem muito mais do que vale fome e 8% de reajuste, merecem respeito e reconhecimento. Grande beijo e VAMOS A LUTA COMPANHEIRA! Janice

Rachel disse...

A cada dia de nossa greve fico mais confiante e mais emocionada, pois a cada dia que passa temos a notícia e a constatação de que mais profissionais que são comprometidos com seu trabalho e sua comunidade estão aderindo este movimento. Estamos assustados, com medo, não há como negar, afinal, este é o primeiro movimento forte que o município de Esteio tem por parte de seus funcionários, e me orgulha saber e dizer que também faço parte dele. Enquanto educadores, temos o dever de mostrar à nossa comunidade e a nossos alunos que temos ideais e que lutamos por eles, que não temos vergonha de mostrar a cara, que é através desses movimentos que mostramos na prática o que é cidadania.

Naiara disse...

É isso ai Gurias!! Vamos lutar por umm salário digno , como diria Amanda Gurgel: ""_Querem q salvamos o pais com um giz e um quadro!!"" Nos pedem apaciencia, mas precisamos hoje de um bom salário para nos manter. Perguntem ao prefeito se ele sobreviveria com dignidade com o mesmo salaio de um professor? hehehe aposto q nao!!! Sinto muita saudade de vcs, bjus bjus adooorooo!! Naiara

Pai da comunidade escolar disse...

o que eu queria saber mesmo é porque meu filho ficou sem atendimento tres dias isso sim. porque nao fizeram um grupo de professores para passeata e paralisação, pra nao prejudicar a comunidade toda? Dai alguns atendiam pelo menos meio turno que fosse. também sou trabalhador e tive que com minha mulher revezar para podermos ir trabalhar. lutar é importante mas entender que isso mexe com outras pessoas também. acompanho as noticias dos jornais, escuto o que falam nas ruas, podem saber que abastante pessoas que tao do lado dos professores mas essas mesmas pessoas ja cansaram de ter que resolver onde colocar seus filhos para poder trabalhar, ganhar dinheiro pro sustento. assim como voces eu sou um trabalhador. também tenho meus direitos. parece que há força no movimento mais pouca razão e muita emoçao. egoista até portudo que ja falei, mas tem. Meu salario, minhas horas, meus colegas. Mas não vi nada sobre minhas crianças, meus alunos. Mas desejo que consigam um salario melhor e que isso mostre no atendimento ao meu filho, porque deixo algo meu com vocês. abraço

Mãe de aluno disse...

É isso aí concordo em tudo que foi relatado!!!
Espero que o prefeito decida nos receber para que isso acabe.
Abraço

Anônimo disse...

Educadoras da EMEI Raio de SOL ,sou mãe de aluno da escola e esta difícil com certeza arrumar alguém esta semana que fique com minha filha,mas esta valendo o sacrifício,pois são vocês que fazem a diferença na vida da minha filha todo dia quando saio para trabalhar,vocês dão muito de si para ela e esta chegado a hora de toda comunidade valorizar o trabalho que estas educadoras realizam todo dia,cuidando e educando nossos filhos,porque a Raio de Sol não é um deposito de crianças ,mas um espaço acolhedor e de confiança que acima de tudo busca fazer nossos filhos felizes enquanto estamos trabalhando.EM vez de criticar ,vamos pressionar nosso prefeito e deixar para cruzar os braços somente envolta dos nossos filhos quando os pegarmos na escola com aquele brilho no olho,cheios de novidades para contar.

Verônica disse...

Colegas,é um momento difícil que estamos passando,com certeza gostaríamos de estar na escola atendendo nossas crianças,mas fomos impedidas pela intolerância dos nossos governantes,me sinto abandonada tanto pelo executivo,quanto pelo legislativo.O que mais me dói é que a nossa causa não é só por dinheiro,mas por qualidade,por dignidade.Contem comigo nesta luta.somente unidos seremos fortes.

Nivia blog tecidinho disse...

Realmente a situação em Esteio está triste! Moro em Florianópolis mas morava em Esteio e tive a alegria de participar da história da Raio de Sol, hoje quando vejo este blog fico muito feliz em ver um trabalho de qualidade sendo desenvolvido com a preocupação de fazer uma Educação Infantil de qualidade. Trabalhei na prefeitura de Esteio 6 anos e nesse tempo vi muitas coisas legais acontecerem em termos de formação continuada. Agora não tem mais nada? Nem os encontros para digamos "trocar experiênicias" entre as profissionais? Espero que as coisas melhorem, pois precisamos de profissionais comprometidas como vocês para fazer a Educação Infantil acontecer, abração Nivia.

Sabrina disse...

É por essas e por outras que eu AMO equipe! Vocês são exemplo para a educação brasileira!!!Apoio incondicional! Abraços para todas essas mulheres maravilhosas e excelentes PROFISSIONAIS!

Pai da comunidade escolar disse...

Nós comunidade estamos com vcs, quando reivindicam um melhor salário mas vcs tem que se organizar tbm para que a escola não pare(se revezem para cuidar das crianças e outros vão para a rua reivindicar), para que a vida de outros vários trabalhadores não pare, podendo correr o risco de perder o emprego, eu e minha esposa trabalhamos e não temos com quem deixar meu filho. Estou com medo de perder meu emprego.
Tomara que voltem logo para a Escola.

Pai da comunidade escolar disse...

Nós comunidade estamos com vcs, quando reivindicam um melhor salário mas vcs tem que se organizar tbm para que a escola não pare(se revezem para cuidar das crianças e outros vão para a rua reivindicar), para que a vida de outros vários trabalhadores não pare, podendo correr o risco de perder o emprego, eu e minha esposa trabalhamos e não temos com quem deixar meu filho. Estou com medo de perder meu emprego.
Tomara que voltem logo para a Escola.

Anônimo disse...

Aos pais de toda a nossa comunidade!

É com muita tristeza que respondo ao comentário do pai que demonstra insatisfação e preocupação com seu trabalho. Também como trabalhadora me sinto insatisfeita e preocupada, mas minha preocupação vai além do salário que ganho, pq antes de ser funcionária pública, sou educadora, e é pela educação, saúde e dignidade que estou engajada nessa luta. É pelo aluno que não tem material pedagógico de qualidade, que necessita da nossa criatividade para que aprenda só com materiais alternativos, nos viramos em mil para transformar a sala de aula num ambiente esteticamente bom para aprender. Somos nós que pintamos as salas de aula fora do horário de trabalho para recebê-los com alegria, compramos do nosso salário materiais de qualidade e para mostrar aos alunos o quanto estamos felizes por estarem conosco. Sem contar as reclamações das mães que passam horas na fila do hospital, mendigando um pediatra, como se estivessem ali em busca de um favor. Somos funcionários e temos o dever sim de atendermos a todos, mas com qualidade e respeito. Sempre que vcs, pais, que em dialogar estamos abertos e prontos a mudanças e reflexões, e o mesmo esperávamos do Sr. Prefeito, que ao contrário não demonstrou tal disposição. Também sou mãe e minha filha está sem aula, também me virei em mil para reorganizar esse momento que estamos passando, assim como muitas colegas, mas se o diálogo não foi oportunizado faremos sim o movimento de cobrança pela cidade mais humana que nos foi prometido, e digo ´"nos foi" pq, foi a mim, a vc, a criança e qualquer ser humano que trabalhe e viva nesta cidade. Também sinto pelos transtornos que estamos passando neste momento, mas é com alegria e confiança numa educação de qualidade e num lugar melhor para se viver que não desistirei de lembrar aos políticos que é por nós e para nós que estão "temporariamente" onde estão.

Pai da comunidade escolar disse...

Obrigado pela resposta professora. Mas ainda não temos uma previsão de volta né? Estava vendo alguns panfletos pela rua da cidade, e enfim, professores de educação infantil estão querendo a redução de carga horária de 32h para 30h né? Ok, está certo, mas porque aglutinar isto na greve? Tentaram uma mesa de dialogo com os gestores da educação para tratar somente sobre este assunto??? Colocam mais reivindicações além do salário que é justo cobrarem, mas está de redução de carga horária que é justa, mas não nesta paralisação. Mai um item, mais tempo de greve. Lembrando que a greve é legitima, mas está um pouco destorcida,aliás muito á fiz greve, pois trabalho no ramo metalúrgico. Gostaria de ter minhas indagações respondidas. Obrigado e Sucesso.

Anônimo disse...

que bom mae que cre na nossa raio. e eu também. em nenhum momento disse que nao. s
penso que aqui com este texto que colocaram sobre a greve é um lugar de expor a opiniao. e a minha opiniao é de que ha desorganização sim. e nao só minha como de familiares e amigos que tem alunos em outras escolas. ou acham que a opiniao de esteio sobre a greve é a mesma que a dos professores e sindicalistas? o apoio se tem, mas as criticas também e cada um deve saber arcar com isso.
quanto a mim em reuniao propicia para isso na escola posso manifestar-me. ja anonimos nao sei se farao o mesmo. me desculpe mas me pareceu discurso de professor com texto dizendo ser de mae. e me desculpe mesmo se aparecer nome de algum pai nem vou acreditar porque capaz de pedirem... agora ja estou na duvida em muitas coisas... e nao só por causa disso. abraço

Verônica disse...

O Blog existe a tanto tempo, porque somente agora estes pais anônimos resolveram tecer comentários? Por que não comentar também as boas práticas da escola?

Pai da comunidade escolar disse...

Veronica, sempre elogiei esta escola em todas as reuniões que fui, mas agora é um sinal de desespero meu e de minha família por esta greve, medo de perder o emprego por estar faltando serviço. Mas quando eu trabalho não busco elogios, mas sim cumprir com minha obrigação.

Maila disse...

Parabéns meninas pela iniciativa e coragem e por terem com confiança chegado lá... é assim que deve ser!
Abraço a todos que participaram nesta luta.

aluna de EMEF pública disse...

olá demais comentaristas!
sou aluna de uma escola de EMEF que também está em greve e depois de visitar este site, o que faço com certa frequência, pois tenho admiração pelo trabalho de alguns profissionais da educação,me dei conta de que faltam comentários de adolescentes que fazem parte da comunidade.
é difícil falar quando ñ se está nos 'bastidores'da situação, mas me parece que nosso excelentíssimo prefeito segue o modelo de governo de Fernando Collor ou até mesmo Mussolini, tantos dias de manifestão e ele nem mesmo era capaz de dar ouvidos aos seus eleitores que, em época de votação se tornam as pessoas mais preciosas deste mundo.Acredito que como um ser de 'autoridade' ele devia estar contente que "seu povo" reivindique seus direitos e ñ seja um bando de alienado que aceita tudo e qualquer coisa que lhe opõem, a ñ ser é claro,q seja isso q ele queira, mas vamos ser ingênuos e acreditar que ele realmente aposta num povo q se dá o valor, será q estas pessoas ñ merecem condiçoes dignas d emprego?
poxa, tantos anos d dedicação em uma universidade p/ganhar um ticket alimentação q ñ paga nem um xis?tantos anos d dedicação p/ver q alguns colegas recebem cesta básica e outros ñ?
e o pior...tantos anos d dedicação em um trabalho q acreditava ser fantástico e conscientizador para vê-lo sendo desmoralizado frente as condições estruturais da escola?
isso é desmotivador, ñ é à toa q a diretora da minha escola sempre nos motiva a querer trabalhar em empresas,e ñ como um funcionário público, p/ñ nos frustrarmos c/oq teríamos d aguentar em prol do nosso serviço.
meus colegas acham q td isso é uma baboseira e q eles ñ têm q se preocupar c/isso.
mas eu penso diferente.Ñ é pq tenho apenas 16 anos q ñ preciso me preocupar c/os problemas d minha cidade. é claro q qdo se está cursando a oitava série ñ se pode fazr mta diferença e q perder aula é como estar se preparando pouco p/uma prova d seleção em uma escola técnica.
mas também, d quê adianta ir à aula e assistir professores desmotivados e sem formação continuada?
afinal, d qm é o dever d manter os professores sempre atualizados e cada vz mais formados?
qm é q quer dizr q esteio é a cidade educadora?qm é q quer dizr q esteio é a cidade mais humana?
qm precisa d toda essa publicidade?
o nome dessa pessoa meus caros, é GILMAR RINALDI
então eu apoio estes profissionais q ñ deixam barato todo esse descaso, claro q é difícil p/os pais arrumarem alguém p/cuidar d seus filhos,
mas acontece q nossos professores SEMPRE põem a comunidade em primeiro lugar...
chegou a vz d pensarem um pouco neles...
e nós, seres egoítas pensamos q isso td é errado...
sem saber q profissionais felizes, bm informados e com boas condições d serviço, só tornam a educação dos alunos ainda mais proveitosa.
então assim eu me despeço, por enquanto, c/a certeza d q eu serei uma profissional q teve bons exemplos na adolescencia...
até breve...

Geneci Mara disse...

Li e reli cada comentário postado e só firmei minha certeza que fomos vencedoras,a partir do momento em que nos unimos na defesa de uma causa que ia além do financeiro,e sim ao encontro do respeito e da dignidade que por vezes insistem em nos roubar.SE ESTAMOS FELIZES,NOSSA CRIANÇAS TAMBÉM ESTARÃO,pois não somos suas guardadoras e sim seus acalentos. Mas agora, são novos tempos! e espero que este espaço seja muito visitado,pois afinal nada se faz sozinha.Até a próxima com forças renovadas.

Priscila disse...

sou mãe da escola Colorindo O Aprender e fiquei muiiito feliz com as conquistas de vcs!!!Parabéns!!!

Daniele disse...

Apoio esta greve sim pelo simples fato que ser professor hoje em dia também é uma profissão de risco e podemos ratificar isto através das notícias de jornais, além de que, se não existisse mestres da educação, também não existiria médicos, engenheiros, advogados ou qualquer outro profissional. Acredito também que assim como eu os pais entendem que isto se faz necessário para melhorar a qualidade da educação de seus filhos. E lembrem-se que somente quando lutamos por nossos objetivos é que conseguimos algo. Pois a vida é difícil sim, para todos, porém nem sempre existiu escolas para deixarmos nossos filhos em tempo integral e como fazíamos? Muitas vezes os deixamos sozinhos, ou com parentes, ou até desconhecidos porque os filhos são nossos e ninguém tem mais responsabilidade sobre eles do que nós mesmos, os próprios pais. E se é preciso este sacrifício para uma educação de qualidade, eu apoio esta causa.

Professoras do berçário 2 disse...

Parabéns a todos os profissionais que tiveram a coragem de participar desta manifestação de luta, luta sim, por mais dignidade, respeito e valorização. E não falo só de salário não, queriamos e queremos ser ouvidas, respeitadas e valorizadas. Somos "professoras" e por isso somos muito importantes para a sociedade. Infelizmente para sermos ouvidas tivemos que deixar de atender os alunos,para que pudessem nos ver, pois nem isso estava acontecendo, não entavam nos vendo, quantas coisas tivemos que engolir, como órdens e determinações dos governantes. Agora mostramos a nossa força! Nunca vi pessoas tão convictas e unidas por uma causa, parabéns! Quero deixar registrado aqui, a minha admiração pelo trabalho de vocês, conheço através do blog o trabalho que realizam, sei que o fazem com muito amor, compromisso e dedicação. Abraços.

MARISA BERSI disse...

Estou muito feliz que pais, adolescentes e professores se manifestem. Isto é democracia. E a internet e suas ferramentas devem ser usadas para que nosso país consiga pensar suas questões, procurando soluções para suas dúvidas e anseios.
Aqui coloco minha opinião: muitos pais se revoltam mas não entram na luta com os professores. É fácil julgar mas difícil é ficar com várias crianças prezando pelos cuidados necessários ao seu bem estar e sem ficar louco! Trabalho como professora com carga horária de 40 horas semanais, sendo 35 horas com criança. É extremamente exaustivo! Mas os pais, muitas vezes só querem saber se seu filho está em perfeito estado como chegou no início do dia, sem um arranhão, uma mordida, um machucadinho! E o trabalho feito? O que seu filho desenvolveu hoje? Está comendo sozinho? Já segura o canetão? Desenhou hoje? Conheceu novos animais no seu projeto.... etc.
A relação do cuidar/educar é complexa e devemos colocar os pais na berlinda! Venham conhecer melhor o trabalho com seus filhos e os recursos disponíveis para que tudo ocorra para o benefício da criança. Por exemplo: os professores tem disponíveis um local seguro e limpo adequadamente? tem material para trabalhar ou coloca do próprio bolso???(sabemos que muitos professores, por amor à profissão, tiram dinheiro do próprio pagamento para realizar seus projetos!). E por aí vai...
Vamos nos fortalecer como comunidade! Vamos nos unir em vez de criticar. E quem critica precisa oferecer alternativas. Que tal pensar antes de criticar!
Um beijo à vcs e continuem lutando mesmo sem apoio de alguns!

MARISA BERSI disse...

AH! PARABÉNS PELO BLOG! ADORO AS IDÉIAS DESENVOLVIDAS POR VCS!

Anônimo disse...

Carla
Hoje tem marmelada? Tem sim senhor! Hoje tem goiabada? Tem sim senhor! E o palhaço o que é? Com esse bordão se anunciava a chegada do circo! E atrás, vinha o desfile das atrações.

Próximo espetáculo: Dia 17 de agosto de 2011 na Casa de Cultura em Esteio/Rs com Sr. Gilmar.
R$274.000.00 gastos com alimentos (creme de lentilha, caldo de caldo e bolas de carne de galinha empapado em caldo com alguns vestigios de tomate).

Gastos com ganchos para pendurar casinha de passarinho, rebites em encostos de cadeiras, desintupição de vaso sanitário, apertos nos parafusos nos bancos do refeitório, retiradas de cocos de pombas do telhado somam R$157.000.
O advogado serve como segurança de Gilmar não é para estudar leis e aplica-las.
E mais!!!
A lista de escritos para reunião de terça-feira com o sr Gilmar com propósito de obter benefícios já estava completa, digo:pronta! Todas escritas não aderiram a greve. PODE!!! Estranho, né!!!
Muitas que estavam neste espetáculo estavam coibidas de falarem e de participarem.PQ será?????

Anônimo disse...

Realmente foi uma palhaçada a reunião, estou pronta para outra G R E V E se assi for necessário.

Anônimo disse...

Palhaçada é pouco, sem contar os risinhos deboche dos "adovogados" do diabo... Vão trabalhar que é pra isso q estão sendo pagos.

Marisete Schmidt disse...

Fico pensando se eles realmente sabem o que fazemos na escola infantil... Porque o discurso é retrógrado: "um lugar para que os filhos fiquem enquanto as mães trabalham". E a infância? O quanto nossos governantes valorizam o trabalho realizado na primeira infância?
Na hora de prestar contas o discurso é sempre baseado em números? E os projetos, pesquisas e publicações?
Argh...........